Delegação moçambicana apresenta pesquisa sobre a escravatura e o seu impacto na África e no Brasil

Coordenador do Projeto de História da Escravatura da Ilha de Moçambique, Mário Brito, e o vice-reitor da Unilab, Aristeu Rosendo.

Coordenador do Projeto de História da Escravatura da Ilha de Moçambique, Mário Brito, e o vice-reitor da Unilab, Aristeu Rosendo.

A Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação (Proppg) convida toda a comunidade acadêmica para participar da apresentação do projeto de pesquisa “História de escravatura e o seu impacto na região norte de Moçambique e nos Estados da Bahia e Ceará no Brasil”.

O evento acontece nesta terça-feira (15), das 14h às 16h, na sala 302, Palmares III, e será apresentado pela delegação da Universidade Pedagógica de Nampula (UPN), de Moçambique, que está em visita técnica na Unilab.

A delegação da UPN, formada pelo coordenador do Projeto de História da Escravatura da Ilha de Moçambique, Mário Brito, o diretor adjunto para área de Pós-graduação, Pesquisa e Extensão, José Baptista, e o chefe do Departamento de Ciências Sociais, Arlindo Nkadibula, foi recebida nesta manhã (14) pelo vice-reitor pro tempore da Unilab, professor Aristeu Rosendo Lima.

Um dos objetivos dessa reunião é dar continuidade ao processo de fortalecimento institucional entre a UPN e a Unilab, a fim de viabilizar parcerias, sobretudo no campo da pesquisa.

Para isso, esclarece Brito: “Tudo dependerá dos nossos esforços e interesses em comum. Nossa universidade também passa por esse processo de interiorização e internacionalização. E a pesquisa pode ser esse incentivo para que possamos unir nossos esforços. Sabemos que o impacto da escravatura no Brasil é muito grande, assim como é grande também o interesse da nova geração em resgatar suas origens e identidades afro-brasileiras”.

Reunião entre os representantes da Unilab e da UPN

Reunião entre os representantes da Unilab e da UPN

Nesse sentido, reforçou Brito: “Queremos nesse momento criar equipes de trabalho para que, juntos, possamos provocar questões que podem fazer parte [adensar] a ideia desse projeto de pesquisa em comum. E acredito que, apesar dos desafios dos parcos recursos, podemos avançar no campo da pesquisa e apresentar questões novas sobre um tema já bastante debatido que é a escravatura. Com isso, pretendemos reconstituir algo de útil desse passado”.

O pró-reitor de Relações Institucionais (Proinst) e historiador, Edson Borges, presente na reunião, lembrou que a escravatura é um tema extremamente caro à historiografia brasileira. “Dos últimos 350 anos de história do Brasil, cerca de 65% disso está relacionado ao tema da escravidão indígena e ao tráfico e escravidão dos negros. Temos, portanto, muito interesse em comum no campo da pesquisa”, declarou.

Já o vice-reitor, Aristeu Rosendo, reforçou seu apoio para as aproximações entre as duas universidades. “Quero destacar que essa reunião reforça nosso espírito diplomático para vermos concretizados projetos de pesquisa em comum entre a Unilab e a Universidade Pedagógica de Nampula, afinal, temos também o compromisso da internacionalização”, pontuou.

E, continuou o vice-reitor, “a internacionalização se dá pela excelência da pesquisa, que pode e deve fazer frente aos desafios do financiamento em países em desenvolvimento. Estamos, hoje, plantando uma semente que pode se tornar uma grande árvore”.

Esta é a segunda visita da delegação da APN à Unilab e está sendo organizada pela Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação (Proppg), Pró-Reitoria de Relações Institucionais (Proinst) e a Rede de Instituições Públicas de Educação Superior (Ripes).

Fonte: Assecom/Unilab

(Até o momento, houve 31 acesso(s) a esta página)