CPLP

CPLP

A Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) foi criada em 17 de julho de 1996, em Lisboa e é composta por oito países: Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor Leste, que se tornou o oitavo país incluído após a conquista de sua independência, no ano de 2002. Muito antes de sua criação, já havia, por parte de constituintes dos governos dos países da CPLP, intenso diálogo sobre a importância de uma aproximação entre eles, através de reuniões de cúpula anuais, ideia que tomou corpo na década de 90.

Em 1994, no segundo encontro da CPLP, consolidaram suas discussões em dois documentos: a Declaração Constitutiva e os Estatutos da Comunidade, nos quais foram aprofundadas questões político-diplomáticas, de cooperação econômica e empresarial e a entrada em funcionamento do IILP (Instituto Internacional da Língua Portuguesa), criado em 1989 no primeiro encontro dos Chefes de Estado e de Governo da futura CPLP. O objetivo da institucionalização da comunidade é, segundo o site oficial: “projetar e consolidar, no plano externo, os especiais laços de amizade entre os países de língua portuguesa, dando a essas nações maior capacidade para defender seus valores e interesses, calcados sobretudo na defesa da democracia, na promoção do desenvolvimento e na criação de um ambiente internacional mais equilibrado e pacífico”.
Tendo como fundamento o vínculo linguístico, que torna o grupo mais coeso e influente, a CPLP prevê uma conciliação política nos domínios social, cultural e econômico entre seus países-membros. Suas ações pretendem estar voltadas aos setores prioritários, com recursos vindos também de parcerias com organizações internacionais, tais como a ONU (Organização das Nações Unidas), a FAO e a OMS.

Mais informações no site www.cplp.org

(Até o momento, houve 0 acesso(s) a esta página)