RELATÓRIO – Missão Junto à CPLP, ao XXV Encontro da AULP e à Ilha de Santiago

O Pró-Reitor de Relações Institucionais da PROINST/UNILAB e coordenador da Rede de Instituições Públicas de Educação Superior (RIPES), Prof. Dr. Edson Borges, representou o Magnífico Reitor Tomaz Aroldo da Mota Santos e a UNILAB no XXV Encontro da Associação de Universidades de Língua Portuguesa (AULP), ocorrido na Cidade Velha (Ilha de Santiago), em Cabo Verde, nos dias 15, 16 e 17 de julho de 2015.

1. Reunião de Gestão do Projeto RIPES

Antes, no dia 13 de julho o coordenador da RIPES esteve no Secretariado Executivo da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (SECPLP), onde realizou reuniões de trabalho com a Srª Carla Filipa Paiva (gestora do Projeto da Rede de Instituições Públicas de Ensino Superior – RIPES) e o Sr. Pedro Veloso (secretário da Missão do Brasil junto à CPLP). Os temas predominantes na reunião foram os seguintes: o Termo de Referência para a escolha da empresa que construirá a Plataforma Virtual da RIPES; o Projeto RIPES e a entrada da Guiné Equatorial na CPLP; a pertinência de ter uma reunião com o futuro novo diretor financeiro do SECPLP (que assumirá em 1º de setembro de 2015); e, a realização das futuras missões a Cabo Verde, São Tomé e Príncipe e à Guiné-Bissau.

Com relação aos procedimentos necessários para a seleção da empresa que será escolhida para desenhar e finalizar a Plataforma Virtual da RIPES, a reunião girou em torno dos seguintes pontos:

1) Após o lançamento do Edital, as propostas deverão ser criteriosamente avaliadas levando em consideração o custo do serviço e, principalmente, as garantias contratuais que a empresa contratada deverá apresentar.

2) Sendo assim, além do menor preço, outros critérios deverão nortear a decisão final, como: pré-pesquisa de mercado (na cidade de Fortaleza), qualidade do serviço, assistência técnica, etc.

3) Em consequência o Termo de Referência (TR) deverá ser detalhado e criterioso, principalmente no capítulo sobre as “Obrigações” da empresa que será contratada para prestar o serviço.

É importante observar que esta será a primeira experiência de lançamento de um Edital para a contratação de uma empresa brasileira para construir um produto para a RIPES. Por isso, todos os procedimentos e as possíveis implicações (jurídicas) deverão ser apontados e decididos em conjunto. Pretende-se com isso: 1) Controlar os gastos; 2) Facilitar e acelerar o processo de contratação; 3) Agilizar os trâmites presentes no Edital; 4) Garantir a pronta assistência técnica da empresa contratada frente a problemas de funcionamento da Plataforma Virtual da RIPES.

 

2. Projeto de digitalização dos acervos de documentos das universidades e acervos da CPLP

À tarde, o Prof. Dr. Edson Borges realizou uma reunião de trabalho no SECPLP, com a Srª Rosa Maria Cruz Pais (responsável pelo projeto de digitalização do acervo de documentos do Arquivo Histórico da CPLP), a Srª Carla Filipa Paiva e a Srª Odete Berti (assistente do SECPLP). O tema predominante na reunião foi o projeto da criação de uma rede digitalizada de acervos e bibliotecas no âmbito da Comunidade dos Países de Língua Oficial Portuguesa (CPLP), que deverá ser abrigada sob um futuro Protocolo de Cooperação que deverá ser assinado entre a CPLP e a RIPES/UNILAB.

Este projeto poderá ser coordenado pela bibliotecária Rosa M. C. Pais (Arquivo Histórico da CPLP). Para o seu desenvolvimento deverá ainda, futuramente: 1) Ser apresentado – em busca da sua aprovação – aos Estados Membros da CPLP; 2) Criar um Plano Estratégico que deverá conter: as linhas gerais e específicas de orientação; o estabelecimento das fases do projeto; o Termo de Referência para esta ação, com o respectivo custo financeiro, etc. 3) Identificar fontes de recursos financeiros (empresas, bancos, Pontos Focais, UNESCO, RIPES, Estados Membros da CPLP, etc.) e humanos (qualificação técnica de pessoal); 4) Comprar equipamentos, programas e suportes (CDs, microfilmes, fotografias, etc.) ¹ ; 5) Identificar e realizar um diagnóstico sobre o estado de conservação e o estágio da digitalização dos acervos e bibliotecas das universidades e acervos da CPLP; 5) Avançar para criar uma rede digitalizada de arquivos históricos das universidades públicas da CPLP.

 

3. Participação no XXV Encontro da AULP

No dia 14 de julho, já na cidade da Praia (Cabo Verde), o Pró-Reitor da UNILAB conversou com a Reitora da Universidade de Cabo Verde (UNICV) Profª Drª Judite Nascimento e, a seguir, realizou uma reunião de trabalho com o Prof. Dr. António Filipe Lobo de Pina (ViceReitor de Relações Internacionais e Cooperação e Ponto Focal da RIPES) no prédio da Reitoria da UNICV, na cidade da Praia. Os temas predominantes na reunião foram: a cooperação entre a UNILAB e a UNICV e as próximas atividades do Projeto RIPES.

Entre os dias 15, 16 e 17 de julho, o Prof. Dr. Edson Borges participou do XXV Encontro da AULP. Inicialmente, representou a UNILAB na Reunião do Conselho de Administração da AULP. Pois, a nossa Universidade – desde o XXIV Encontro da AULP, ocorrido em Macau, China, de 17 a 19 de setembro de 2014 -, foi nomeada para 5º Vogal Efetivo do Conselho de Administração (CA) da AULP, para o triênio 2015-2017. O Conselho de Administração é o órgão de direção da atividade da AULP, fazendo cumprir as decisões da Assembleia Geral, sendo composto pelo Presidente da Associação, um Secretário-Geral, 4 Vice-Presidentes, 5 vogais efetivos e 4 vogais suplentes.

Durante o evento, o Pró-Reitor e coordenador da RIPES realizou inúmeras conversas e reuniões com Reitores, Pró-Reitores, Pontos Focais da RIPES, professores e professoras de universidades dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP), da Universidade Nacional Timor Lorosa’e (UNTL), de Macau, de Portugal e do Brasil.

O tema global do XXV Encontro da AULP – Novos Desafios para o Ensino Superior após os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM) – norteou os subtemas apresentados: (1) Políticas e estratégias de cooperação para o desenvolvimento nos países de língua oficial portuguesa e perspectivas para o pós-ODM; (2) O papel da ciência no desenvolvimento; (3) A difusão e o desenvolvimento da língua e literatura portuguesas; (4) A plataforma continental marítima; (5) A presença do mar na cultura expressa em português; (6) Novos desafios das Universidades membros da AULP; (7) Encontro Paralelo – Segurança Alimentar (organizado pelo Secretariado Executivo da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa – SECPLP): “O papel das organizações do ensino superior na promoção de políticas públicas de Segurança Alimentar e Nutricional”; (8) Cooperação universitária, desenvolvimento e internacionalização no diálogo Sul-Sul.

Ressaltamos que a Associação das Universidades de Língua Portuguesa abriga, cada vez mais, representantes de todas as organizações que atuam a favor da língua portuguesa. Pois, o XXV Encontro da AULP teve 270 inscrições (oriundas de 10 países), entre as quais destacamos a presença de 23 Reitores, 11 Vice-Reitores, 2 Pró-Reitores e 14 dirigentes de Instituições de Ensino Superior (IES).

Por fim, na Assembleia Geral da AULP, decidiu-se o seguinte:

1) Que os próximos prêmios oferecidos pela AULP apenas permitirão as inscrições de trabalhos oriundos de universidades associadas e que estejam com as cotas atualizadas com a AULP;

2) A possibilidade de se cobrar um valor de inscrição para os próximos Encontros da AULP: um valor “x” para professores e pesquisadores membros da AULP e um valor “y” para professores e pesquisadores não membros da AULP;

3) Os próximos Encontros da AULP deverão ser organizados para que, após as apresentações das comunicações, possa haver perguntas e debates;

4) Por fim, na Sessão Solene de Encerramento – com a presença do Reitor Aurélio Guterres, da Universidade Nacional Timor Lorosa’e – foi anunciado que o XXVI Encontro da AULP ocorrerá em Timor Leste, em julho de 2016.

 

Prof. Dr. Edson Borges
Coordenador da RIPES
Pró-Reitor de Relações Institucionais (PROINST)
UNILAB

 

1 É necessário observar que, atualmente, o custo inicial da microfilmagem é maior do que o processo de digitalização de documentos. Uma sugestão foi que se verificasse o modelo dos equipamentos utilizados para a digitalização e repositório histórico de documentos originais utilizados pela Torre do Tombo, em Portugal. Outra fonte de orientação deverá ser a metodologia utilizada pela UNESCO, para realizar o levantamento de fontes sobre o tráfico negreiro e a escravidão africana.

O relatório completo em PDF está disponível aqui.

 

(Até o momento, houve 141 acesso(s) a esta página)