Brics anunciam a criação de rede de intercâmbio de pós-graduação

528682-970x600-1

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, cumprimenta a presidente Dilma Rousseff durante uma cerimônia de boas vindas em Ufá, no dia 9 de julho de 2015, no começo da 7ª cúpula dos Brics.

Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul criaram nesta terça (17) a “Universidade dos Brics”. O acordo, assinado em Moscou, prevê o intercâmbio em programas de pós-graduação em seis áreas: economia, energia, tecnologia da informação e segurança da informação, mudanças climáticas e aquecimento global, recursos hídricos e poluição ambiental e estudos sobre os Brics.

O número de alunos ainda não foi definido, mas, segundo o MEC, a previsão é que haja dez vagas para mestrado e dez para doutorado em cada uma das seis áreas. Os alunos farão parte do curso presencial fora de seu país —os estudantes mais bem classificados poderão escolher primeiro em que país complementarão seus cursos.

O ministério não informou qual o custo do projeto nem de onde virão os recursos. Segundo o órgão, “a iniciativa não terá grande impacto orçamentário, uma vez que fará parte de ações que o MEC já realiza, como oferta de bolsas de estudo no exterior e recursos para programas de pesquisa”. A expectativa é de que o edital para os programas seja publicado até dezembro deste ano e a seleção dos alunos ocorra no segundo semestre de 2016. As aulas começariam no primeiro semestre de 2017.

Poderão participar da seleção instituições públicas e privadas. O MEC não informou, no entanto, quais serão os critérios de seleção nem como será feito o acompanhamento do desempenho dos programas selecionados. Segundo o ministério, “o critério para a participação dos programas será a qualidade”.

Fonte: Folha de São Paulo

(Até o momento, houve 43 acesso(s) a esta página)