Fortaleza sedia fórum sobre Brasil-África

logo_forumbrasilafricaO II Fórum Brasil África será realizado em Fortaleza, nos dias 28 e 29 deste mês, e tem como tema “Infraestrutura, parcerias e desenvolvimento” e busca estreitar as relações comerciais entre o Brasil e países africanos. Representantes de diversas empresas interessadas em investir no continente africano estarão reunidas com lideranças africanas, que também prospectam negócios no Brasil.

Reformas econômicas e diversas mudanças políticas e sociais fazem da África – com seus 54 países e cerca de um bilhão de habitantes –, um continente cada vez mais favorável ao investimento estrangeiro direto. “O II Fórum Brasil África vai mostrar que existe mais que um oceano entre o Brasil e África. Há de fato, um enorme potencial de oportunidade nos dois lados do Atlântico”, disse João Bosco Monte, presidente do Instituto Brasil África, realizador do evento.

O prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio, ressalta a importância deste evento internacional, pois soma-se a outros que já vieram para cá, reforçando a imagem de que a capital cearense é uma das principais do Nordeste na promoção do turismo de negócios. “É, principalmente, uma forma de, cada vez mais, consolidá-la como uma cidade preparada para sediar grandes eventos, como acabamos de constatar com a Copa do Mundo e a reunião de Cúpula do Brics (com os chefes de estado de Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul”, argumentou.

OPORTUNIDADES

Instituições brasileiras estão cada vez mais voltadas para ações que facilitam a inserção das empresas daqui, no mercado africano. O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), por exemplo, abriu uma agência na África do Sul, no final de 2013. O Senai também tem elaborado projetos no continente. “Para um país de renda média, como o Brasil, a África é uma opção estratégica para que muitas empresas brasileiras possam iniciar seus processos de internacionalização pela proximidade geográfica, pela complementariedade econômico-comercial, pela proximidade cultural e também pelo grande mercado de consumo ainda não explorado”, explicou Frederico Lamego de Teixeira Soares, gerente-executivo de Relações Internacionais do Senai. Para o presidente do Banco do Nordeste, Nelson de Souza, a África tem se constituído um continente atraente para os investidores estrangeiros em função dos seus recursos naturais, sua vasta mão de obra, além de seu amplo mercado interno. “O aperfeiçoamento das políticas nacionais, o aumento dos preços das commodities e a expansão da classe média contribuíram para que o continente obtivesse um crescimento médio de 6% em 2013”, revelou. A operadora de telecomunicações Angola Cables está instalando um cabo submarino de fibra óptica que vai ligar Angola ao Brasil. “Este fórum é de grande relevância para a Angola Cables, pois estarão reunidos os principais players, quer do mercado brasileiro, quer do mercado africano, que são para nós, essenciais”, afirmou António Nunes, CEO da empresa. A Agrícola Famosa, situada no limite entre Ceará e Rio Grande do Nordeste, é uma das maiores exportadoras de frutas do Brasil e lidera as exportações de melão do País, com 181,7 mil toneladas embarcadas anualmente. Para o seu presidente, Luiz Roberto Barcelos, a África é a última fronteira agrícola do mundo a ser aberta. “As condições climáticas e geográficas são muito favoráveis ao desenvolvimento da agricultura, de um modo geral. Para a Famosa, a região leste de África tem um grande potencial de produção de frutas a ser destinada aos mercados do Oriente Médio e Ásia”, disse. Serviço: II Fórum Brasil África 28 e 29 de agosto de 2014 Hotel Gran Marquise (Avenida Beira Mar, 3980, Mucuripe) Informações: www.forumbrazilafrica.com Fonte: O Estado

(Até o momento, houve 151 acesso(s) a esta página)